Com a chegada do verão e o calor aumentando, cair na piscina é uma ótima diversão para pessoas – e para os cães também. Então, se você decidiu que é hora de aproveitar as férias na piscina e incluir o seu melhor amigo, tenha em mente que é preciso tomar certos cuidados.

Para manter a segurança do seu pet e evitar imprevistos, confira nossas dicas para garantir a diversão, sem correr nenhum risco.

O cachorro sabe nadar?

É comum algumas pessoas acreditarem que todo cão nasce sabendo nadar, mas, na verdade, não é bem assim. Nem todo cachorro sabe nadar e nem todo cachorro consegue nadar.

Existem raças que, por diversos fatores da composição do seu corpo, podem simplesmente não conseguir nadar. Peso excessivo, patas muito curtas, cabeça desproporcional ao corpo, focinho achatado em raças braquicefálicas, tudo isso pode ser um obstáculo.

Cães como Buldogue e Pug não costumam ser bons nadadores. Já os Golden Retriever se saem muito bem na água. No entanto, é importante avaliar o caso de cada animal e verificar se ele de fato está apto e sabe a nadar da forma correta.

O cão sabe entrar e sair da piscina sozinho?

O pet deve saber entrar e sair da piscina sozinho. Por isso, ensine-o como fazer isso! É necessário que ele esteja acostumado a água e saiba como nadar. 

Então, dedique um tempo para ajudar o seu peludo nessa etapa de adaptação, sem forçá-lo a entrar na água, caso ele não se sinta seguro. Pouco a pouco, ele ganhará confiança e poderá se divertir por conta própria.

Bons acessórios 

Existem acessórios para entreter e, também, ajudar cães na água. Se o seu cãozinho não sabe nadar bem, é possível colocar um colete salva vidas para acostumá-lo ao ambiente. Assim, você fica bem mais tranquilo e ele pode se divertir em segurança.

Além disso, existem escadas e rampas específicas para auxiliar aqueles que não conseguem entrar e sair da água sozinhos.

Por fim, você também pode colocar cercas na piscina ou até divisores de ambiente, para evitar que o animal tenha acesso à área externa quando ninguém estiver em casa. Uma simples medida que pode evitar possíveis acidentes!

Não deixe o cão sozinho na área da piscina

Como falamos, o ideal é que o cachorro não fique sozinho na área da piscina. Mesmo que ele saiba nadar bem e já esteja acostumado, acidentes podem acontecer. 

É difícil pensar nisso, mas se você prever situações negativas e evitar que aconteçam, o seu cão estará mais seguro. Por isso, nunca o deixe sozinho na área da piscina, mesmo que tenham pessoas dentro de casa.

Se todos entraram na casa, leve o cãozinho para dentro também.

Protetor solar e hidratação

Além dos cuidados com a segurança, também é importante ter cuidados com a saúde do seu amigo. Lembre-se de manter o peludo sempre bem hidratado, oferecer bastante água fresca e acrescentar gelo em dias muitos quentes. 

Entre os cuidados com a saúde, também é preciso pensar na pele do animal de estimação. Use protetor solar nas regiões de pouco pelo – se ele tiver predisposição a doenças de pele esse cuidado é ainda mais importante. Se julgar necessário, você também pode usar acessórios para cães, como boné e óculos de sol.

Cansaço

Os cães são como crianças: quando estão se divertindo muito eles não pensam em parar para descansar, principalmente quando são jovens e agitados. Por isso, faça intervalos para o seu peludo. 

Se perceber que ele está cansado, leve-o para uma área mais reservada da agitação e ofereça água. Incentive-o a deitar para que ele possa relaxar – músicas calmas são ótimas aliadas para deixá-lo sossegado. Depois que o cão não estiver mais ofegante, pode deixá-lo voltar para a brincadeira, mas sempre acompanhando os sinais de cansaço.

Não ofereça ração logo antes ou logo depois da brincadeira na piscina para evitar que o animal passe mal por conta da atividade física. Também evite alimentos não recomendados pelo veterinário. Aproveite para conferir também nosso artigo sobre alimentos proibidos para os cães.