Em uma de suas últimas edições, o Pet Booking Visita convidou a bulldog inglês Torrada para um encontro especial com a Dra. Ludmila do Espaço Artemísia. A profissional realizou uma consulta com aplicação de ozônio, terapia alternativa que tem sido importante aliada no tratamento de diversas doenças, melhorando o quadro clínico e trazendo qualidade de vida para os Pets.

A ozonioterapia é aplicada desde o século XIX, mas ganhou força durante a Primeira Guerra Mundial e se tornou um tratamento conhecido nas últimas décadas. Na medicina veterinária, o uso de ozônio tem importantes efeitos. Por isso, o Pet Booking convidou a Dra. Ludmila para esclarecer algumas dúvidas sobre a ozonioterapia.

 

O que é a ozonioterapia?

A ozonioterapia é uma técnica natural de uso terapêutico a base do gás de ozônio. O oxigênio puro (O²) é armazenado em um cilindro e, posteriormente, passa por uma máquina que o transforma em ozônio (O³). Esse gás que sai da máquina será utilizado na ozonioterapia.

 

Como é feita a aplicação no Pet?

Existem várias vias de aplicação, mas isso depende do quadro de saúde do animal, ou seja, o que queremos atingir por meio da terapia. É possível realizar aplicação subcutânea com auxílio de uma seringa para alívio da dor, por exemplo. Podemos também colocar o Pet em um saquinho, somente com a cabeça para fora, e com a ajuda de um cano lançar ozônio direto neste pacotinho para que o tratamento seja realizado na pele, em casos de dermatite, coceiras, sarna e qualquer alteração dermatológica.

 

Para quais Pets a ozonioterapia é indicada?

De maneira geral, para Pet idosos a ozonioterapia tem grade poder terapêutico, pois são animais que já possuem restrição medicamentosa, não podendo usar qualquer medição ou dose. Para animais que estejam fazendo uso de medicações e não possam correlacionar com outras, o uso do ozônio também é bastante eficaz. Para quem busca algo natural e efetivo, o ozônio é uma excelente alternativa, principalmente para casos de dor crônica.

 

Quais doenças podem ser tratadas?

Praticamente todos os problemas ósseos e articulares podem ser tratados, como artrite, artrose e problemas na coluna vertebral, além de outros casos específicos de articulação: joelho, quadril e displasia coxofemoral. Assim, todos os quadros ósseos e articulares que causam dor aguda e crônica podem ser tratados com ozonioterapia.

 

O ozônio também pode contribuir no tratamento de outras doenças?

Sim, a ozonioterapia age como coadjuvante no tratamento de algumas doenças, como: diabete (reduzindo a dose de insulina), insuficiência renal e doenças dermatológicas em geral. Ele também tem excelente aplicabilidade em caso de neoplasia, pois o animal que está fazendo quimioterapia terá seu organismo oxigenado pelo ozônio, melhorando a circulação e dando bom suporte para que o Pet tenha qualidade de vida enquanto faz o tratamento.

A ozonioterapia é capaz de curar doenças?

É importante entendermos que grande parte das doenças tratadas com ozonioterapia são degenerativas e progressivas, ou seja, apresentam pequena possibilidade cura, independente do tratamento realizado. Assim, sendo a ozonioterapia uma alternativa complementar, ela irá contribuir fortemente para a qualidade de vida do Pet, mas não poderá curar. Isso não significa que o ozônio não seja efetivo, mas sim que algumas doenças, como a diabete, não tem cura.

O ozônio pode substituir o uso de medicações?

Sim. Animais dependentes de analgésicos e que fazem uso constante de corticoide, por exemplo, podem fazer uso do ozônio para substituir essas medicações. Claro que depende do quadro de saúde de cada Pet, pois algumas vezes não é possível tratar somente com ozônio.

Quantas sessões são necessárias?

De modo geral, para um bom tratamento são realizadas 10 sessões, essa é a média. Mas existem fatores que podem gerar variações, como a idade, a própria doença e sua cronicidade.

Existe alguma contraindicação?

Em casos de anemia severa, pois o ozônio pode quebrar as hemácias e agravar o quadro de saúde do Pet. No entanto, para outras doenças e condições do Pet não há restrições, nem mesmo por conta da idade ou raça. Também é importante ressaltar que a ozonioterapia não causa reação adversa, pois tem grande poder analgésico e antiflamatório. Mas sempre é necessário acompanhamento de um profissional que conheça o histórico do animal.

 

Você pode relatar um caso interessante de tratamento com ozonioterapia?

Sim, posso contar um caso especial. Há algum tempo, atendi um rottweiler diabético que precisava da ozonioterapia para controle das dores. Além do resultado aguardado, tivemos um efeito reacional bastante positivo e inesperado, que foi a baixa da glicemia. Ele melhorou a condição da diabete e parou de ter picos de glicemia após o início da ozonioterapia.

Agora que você sabe tudo sobre a ozonioterapia, que tal oferecer mais qualidade de vida ao seu Pet com este tratamento alternativo? Converse com o veterinário de sua confiança para que seu companheiro tenha sempre o melhor cuidado.

 

SERVIÇO:

Espaço Artemísia

Rua Tijuco Preto, 175 – Parque da Mooca – São Paulo/SP