Todo tutor sabe que é fundamental garantir a saúde dos pets – ainda mais nesse momento tão delicado de pandemia mundial. Por isso, saiba quais são os cuidados mais indicados para manter nossos melhores amigos saudáveis.

 

Proteção exterior contra o vírus

Apesar de não existir nenhuma prova concreta de que animais de estimação possam contrair e transmitir a Covid-19, há vários outros tipos de vírus da mesma família capazes de atingir cães e gatos – como explicamos detalhadamente aqui

 

Entre os cães, os vírus da família Coronavidae podem causar a coronavirose canina. Ela, por sua vez, pode causar o Coronavírus entérico canino (CCoV) ou Coronavírus respiratório canino (CRCoV). Tendo em vista que as doenças são causadas por vírus distintos, os sintomas também variam.

 

Para as complicações entéricas caninas, o cão pode apresentar diarreia intensa, perda de apetite, vômito, desidratação, aumento de temperatura corporal, tremores e apatia. Já os sintomas do vírus CRCoV, que causa problemas respiratórios, baseiam-se em tosse e descarga nasal.

 

Além desses dois vírus, também há o FCoV, responsável pela Peritonite Infecciosa Felina (PIF), que atinge os gatos. Os bichanos que possuem a doença apresentam como principais sintomas febre, vômito, perda de apetite, diarreia e convulsões.

 

Vale ressaltar que todas essas doenças foram identificadas antes mesmo de o novo coronavírus surgir. 

 

Para evitar ao máximo que esse vírus se propague, a principal proteção exterior é manter um alto nível de higiene nos locais em que o pet vive e frequenta. Entenda melhor quais cuidados podem ser tomados para evitar que o seu melhor amigo contraia qualquer doença.

Casa

Manter a casa bem limpa é essencial. Para isso, produtos como desinfetantes são o suficiente para matar os vírus da família Coronaviridae.

 

Mas, atenção: tenha cuidado para não causar alergias no seu pet. Para isso, não deixe que ele tenha contato com esses locais até que o produto de limpeza seja completamente absorvido. Aproveite para também higienizar os brinquedos e acessórios do seu bichinho. 

Passeios

Para os tutores que levam o seu melhor amigo para passear, a dica é usar paninhos de higienização para limpar as patas, assim que retornar para casa. Entretanto, não deixe o pet lamber as áreas higienizadas, para evitar o contato com substâncias não recomendadas.

 

Outra dica é manter a distância com outros animais e pessoas durante o passeio na rua. A falta de contato evita que gotículas infectadas fiquem no pelo do pet. Por isso, fuja de aglomerações e prefira passeios em ruas pouco movimentadas. O distanciamento social é extremamente importante neste momento!

 

Reforçando que, apesar de os animais de estimação não transmitirem a Covid-19, o vírus pode permanecer nos pelos dos pets. Caso você toque na superfície infectada e depois leve a mãos aos olhos, boca ou nariz, há chances de contaminação. Portanto, sempre lave bem as mãos antes e depois de interagir com o bichinho.

Banhos

Os banhos podem ser mantidos uma vez na semana para os cães, assim como a escovação rotineira dos pelos. Essa rotina ajuda a manter o pet saudável, limpo e longe dos vírus que podem causar contaminações.

Máscara para animais

Recentemente, muitas imagens de pets com máscaras surgiram na internet. Mas, especialistas apontam que elas não são úteis para os animais. Alguns, inclusive, podem ter dificuldade de respirar com o uso desse acessório. Portanto, mantenha o foco na limpeza – que é o suficiente para evitar que o vírus se prolifere.

Saúde dos pets: mantendo a imunidade alta

Além do foco na limpeza do bichinho e da casa, há mais uma medida fundamental para proteger os animais de estimação de qualquer doença – e isso independente de ela ser provocada ou não pela família Coronaviridae. 

 

Essa medida é uma velha conhecida: manter a imunidade do pet alta. O primeiro passo é verificar se todas as vacinas estão em dia. A V8 ou V10 já imunizam cães e gatos contra os tipos de coronavírus que podem afetá-los.

 

Além disso, você pode aumentar a imunidade do seu melhor amigo oferecendo bastante água ao longo do dia. Assim como nos humanos, o consumo adequado desse líquido ajuda no funcionamento do organismo dos animais de estimação.

 

Somado a isso, dê alimentos como cenoura, brócolis e algumas frutas, como banana ou maçã sem semente. O ideal é trocar os petiscos industrializados por uma alimentação saudável, que fornecerá diversos nutrientes para os pets.

 

Mas lembre-se de que o veterinário deve ser consultado para recomendar a dieta perfeita para o seu amigo!

Reforço: cuidados personalizados

Além de seguir todas as recomendações desse artigo, é essencial contar com um profissional qualificado para cuidar melhor do seu amigo. Sem dúvida, o médico veterinário é a peça fundamental para manter a saúde dos pets. 

 

Por isso, se o seu animal de estimação não estiver com as vacinas em dia, se apresentar algum sintoma ou comportamento diferente do usual, não deixe de entrar em contato com um veterinário. No nosso site, você encontra os melhores veterinários disponíveis na sua região, sem sair de casa.